Riscos da profissão: percepções dos jornalistas da capital brasileira sobre seu trabalho na pandemia

Palabras clave: comunicação em saúde, jornalismo, pandemia, covid-19, trabalho

Resumen

Introdução: O jornalismo em saúde teve papel fundamental na pandemia de COVID-19 em todo o mundo. No Brasil, em meio a episódios de desinformação e incerteza científica, o trabalho destes profissionais teve repercussão em sua saúde física e mental. Objetivo: Compreender a perceção dos jornalistas da capital do Brasil sobre seu trabalho durante a pandemia de COVID-19. Metodologia: Pesquisa qualitativa, exploratória e descritiva, com análise de conteúdo de entrevistas on-line com jornalistas que trabalharam com pautas sobre COVID-19 durante a pandemia. Resultados: As condições de trabalho e vida dos jornalistas na pandemia foram alteradas, com necessidade de mais cautela para explicar, divulgar e atualizar as pessoas sobre a COVID-19. Houve mais volume de trabalho, dificuldades e lentidão para apurar informações. O uso das novas tecnologias para elaboração e edição das pautas também foi mencionado como algo positivo, assim como o home office. Conclusão: A pandemia alterou a forma de se fazer jornalismo no Brasil, com desafios e oportunidades que devem ser acompanhados pelos trabalhadores, gestores e pesquisadores da comunicação em saúde.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.
Consultas del resumen: 348
PDF (Português (Portugal)) : 235

Citas

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. (2023). Painel Coronavírus. Brasília. Recuperado de https://infoms.saude.gov.br/extensions/covid-19_html/covid-19_html.html

Cajazeira, P. E. S. L., & Souza , J. J. G. de (2022). O telejornalismo no Cariri Cearense: a rotina de trabalho dos jornalistas no contexto da pandemia da Covid-19 (2020 a 2022). Comunicação & Informação, 25, 78–92. https://doi.org/10.5216/ci.v25.64443.

Camponez, C., Miranda, J., Fidalgo, J., Garcia, J. L., Matos, J., Oliveira, M., Martins, P., & Silva, P. A. da. (2020). Estudo sobre os Efeitos do Estado de Emergência no Jornalismo no Contexto da Pandemia Covid-19. Relatório. Repositorio.ul.pt. https://repositorio.ul.pt/handle/10451/44291

Cantanhede, Y. S., & Zanforlin, S. C. (2020). As definições do newsmaking: um estudo bibliográfico sobre as perspectivas do conceito. Anagrama, 14(1), 1–16. https://doi.org/10.11606/issn.1982-1689.anagrama.2020.164265

Carvalho, S. E. (2017). Contribuições de Pierre Bourdieu para o Campo Jornalístico.

Casero-Ripollés, A. (2021). O Impacto da Covid-19 no Jornalismo: Um Conjunto de Transformações em Cinco Domínios. Comunicação e Sociedade, 40, 53– 69. https://doi.org/10.17231/comsoc.40(2021).3283

Chaparro, M. C. (2007). Pragmática do jornalismo: buscas práticas para uma teoria da ação jornalística. São Paulo: Summus Editorial.

Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ). (2022). Previdência e Segurança. Jornalistas vitimados pela Covid-19. Recuperado de https://fenaj.org.br/dossie-jornalistas-vitimados-pela-covid-19.

Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ). (2020). Pesquisa FIJ: 61,25% dos jornalistas brasileiros têm aumento de ansiedade e estresse com o trabalho na pandemia. Recuperado de https://fenaj.org.br/pesquisa-fij-6125-dos-jornalistas-brasileiros-tem-aumento-de-ansiedade-e-estresse-com-o-trabalho-na-pandemia/

Ferraz, L. M. (2020). Saúde e política na crise da Covid-19: apontamentos sobre a pandemia na imprensa brasileira. Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde, 14(2), 273-278. https://doi.org/10.29397/reciis.v14i2.2128

Ferraretto, L. A., & Morgado, F. (2020). Covid-19 y Comunicación: una guia practica para enfrentar la crisis. Porto Alegre, Brasil: Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Figaro, R., Barros, J. V., & Kinoshita, J. (2019). As relações de comunicação e as condições de produção no trabalho de jornalistas em arranjos econômicos alternativos às corporações de mídia. In Anais. Goiânia: Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo. Recuperado de https://www.eca.usp.br/acervo/producao-academica/003029161.pdf

Figaro, R., Visibeli Barros, J., Marques da Silva, A. F., Rodrigues, N., Kinoshita, J., Moliani, J. A., Acosta Camargo, C., & Oliveira, D. (2021). O trabalho do comunicador durante a pandemia da covid-19. Revista Latinoamericana de Ciencias de la Comunicación, 19(35), 278-290. Recuperado de http://revista.pubalaic.org/index.php/alaic/article/view/678

Grohmann, R. (2020). Plataformização do trabalho: entre dataficação, financeirização e racionalidade neoliberal. Revista Eletrônica Internacional de Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura, 22(1), 106-122.

Hohlfeldt, A. (2001). Hipóteses contemporâneas de pesquisa em comunicação. Teorias da comunicação: conceitos, escolas e tendências. Petrópolis: Vozes, 201-219.

Hohlfeldt, A. (2008). Os estudos sobre a hipótese de agendamento. Revista FAMECOS, 4(7), 42–51. https://doi.org/10.15448/1980-3729.1997.7.2983

Kilesse, S., & Machado, M. N. D. M. (2009). Relações entre o trabalho do jornalista e seu estado geral de saúde. Encontro Nacional da Abrapso, 15.

Kreps, G. L., Bonaguro, E. W., & Query Jr, J. L. (2003). The history and development of the field of health communication. Russian Journal of Communication, 10, 12-20.

Kreps, G. L. (2012). Health communication inquiry and health outcomes. Communication and Society, 11-22. https://doi.org/10.17231/comsoc.23(2012).1351.

Kreps, G. L., & Maibach, E. W. (2008). Transdisciplinary science: The nexus between communication and public health. Journal of Communication, 58(4), 732-748. https://doi.org/10.1111/j%20.1460-2466.2008.00411.x

Lopes, F., Santos, C. A., Peixinho, A. T., Magalhães, O. E., & Araújo, R. (2021). Covid-19: Uma pandemia que reconfigura o jornalismo?. Media and Jornalismo, 21(39), 57-75. Recuperado de https://estudogeral.uc.pt/handle/10316/105340

Lordêlo, F, S; De Magalhães Porto, C. (2012). Divulgação científica e cultura científica: conceito e aplicabilidade. Revista Ciência em Extensão, 8(1), 18-34. Recuperado de https://ojs.unesp.br/index.php/revista_proex/article/view/515

Massarani, L. M., Neves, L. F. F., & Silva, C. M. D. (2021). Excesso e alta velocidade das informações científicas: impactos da COVID-19 no trabalho de jornalistas. Recuperado de https://www.e-compos.org.br/e-compos/article/view/2426

Mheidly, N., & Fares, J. (2020). Health communication in low-income countries: a 60-year bibliometric and thematic analysis. Journal of Education and Health Promotion, 9(163), 1-8. https://doi.org/10.4103/jehp.jehp_384_20

Nardi, A. C. F., Soares, R. A. S., Mendonça, A. V. M., & Sousa, M. F. D. (2018). Comunicação em saúde: um estudo do perfil e da estrutura das assessorias de comunicação municipais em 2014-2015. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 27, p. e2017409. https://doi.org/10.5123/S1679-49742018000200015

Nicoletti, J. (2020). É preciso falar sobre a saúde mental dos jornalistas. Observatório da Imprensa. 20 de abril. de 2020. Recuperado de https://www.observatoriodaimprensa.com.br/imprensa-em-questao/e-preciso-falar-sobre-a-saude-mental-dos-jornalistas/

Oliveira-Costa, M. S. de, Fernandes, M. F. M., & Vasconcelos, W. (2022). O recado está dado: a COVID-19 e suas repercussões para a comunicação em saúde nas instituições públicas. Cadernos Ibero-Americanos De Direito Sanitário, 11(2), 175–182. https://doi.org/10.17566/ciads.v11i2.923

Oliveira, F. (2014). Jornalismo Científico. -3. Ed., 1ª reimpressão – São Paulo: Contexto,Coleção comunicação.

Oliveira, H., & Gadine, S. (2020). Jornalismo em tempos da pandemia do novo coronavírus. 1ª edição – Aveiro: Ria Editoral.

Oliveira, V. C. (2013). Os sentidos da saúde nas mídias jornalísticas impressas. RECIIS – R. Eletr. de Com. Inf. Inov. Saúde 6(4), 1-14. 10.3395/reciis.v6i4. Sup1.731pt

Osmann, J., Selva, M., & Feinstein, A. (2021). How have journalists been affected psychologically by their coverage of the COVID-19 pandemic? A descriptive study of two international news organisations. BMJ Open, 11(7), e045675. Recuperado de https://bmjopen.bmj.com/content/11/7/e045675

Penteado, R. Z., & Gastaldello, L. M. (2016). Saúde e qualidade de vida de jornalistas: estudo de revisão. Revista Brasileira em Promoção sa Saúde, 29(2), 295–304. https://doi.org/10.5020/18061230.2016. p295

Piñon, D. (2021). Ressignificando a relação entre jornalismo e ciência no pós-pandemia. Academia Brasileira de Ciências. Recuperado de https://www.abc.org.br/2021/09/26/pesquisadores-debatem-a-ressignificacao-da-relacao-entre-jornalismo-e-ciencia-no-pos-pandemia

Pitta, A, M. (1995). Saúde & comunicaçäo: visibilidades e silêncios. In A. M. R. Pitta (org), Saúde & comunicaçäo: visibilidades e silêncios (pp.239- 266). São Paulo, Brasil: Hucitec.

Perreault, M. F., & Perreault, G. P. (2021). Journalists on COVID-19 journalism: Communication ecology of pandemic reporting. American Behavioral Scientist, 65(7), 976-991. https://doi.org/10.1177/0002764221992813

Salazar de Pablo, G., Vaquerizo-Serrano, J., Catalan, A., Arango, C., Moreno, C., Ferre, F., Shin, J. I., Sullivan, S., Brondino, N., Solmi, M., & Fusar-Poli, P. (2020). Impact of coronavirus syndromes on physical and mental health of health care workers: Systematic review and meta-analysis. Journal of affective disorders, 275, 48–57. https://doi.org/10.1016/j.jad.2020.06.022

Santos, A. (2006). Caderno mídia e saúde pública. Escola de Saúde Pública/FUNED.

Schiavo, R. (2013). Health communication: From theory to practice. San Francisco: Jossey Bass.

Siqueira. F., & Monteiro.P. (2020). Jornalismo em tempos de pandemia: reconfigurações na TV e na Internet. João Pessoa: Editora UFPB.

Sousa, V., Costa, P. R., Capoano, E., & Paganotti, I. (2020). Riscos, dilemas e oportunidades: atuação jornalística em tempos de Covid-19. Estudos em Comunicação, (31), 1-33. https://doi.org/10.25768/20.04.03.31.01

Souza Ribeiro Gurgel, A. G., Sá Dutra, A. R. de A., Mesquita, K. de C. S., Ananias, D. V., Ananias, D. V., Lima Barros, M. J., & Monte, C. S. do. (2021). COVID-19 e a atuação da comunicação em saúde: boas práticas em SOBRAL-CE. Revista de Políticas Públicas, 20, 109-117. https://doi.org/10.36925/sanare.v20i0.1512

Spink, M., Cordeiro, J., Brigagão, J., & Malinverni, C. (2021). Covid-19: versões da pandemia nas mídias. São Paulo, Instituto de Psicologia da Universidade de São, E-Book. doi: 10.11606/9786587596136

Tabai, B. J., Santos, T. B. D., & Coqueiro, J. M. (2022). Quando não é possível deixar de informar: o processo de trabalho de jornalistas durante a pandemia da Covid-19. Saúde em Debate, 46, 93-104. https://doi.org/10.1590/0103-11042022E106

Traquina, N. (2005). Teorias do jornalismo: porque as notícias são como são. Florianópolis: Insular, 2ª edição.

Vizeu, A. (2014). Decidindo o que é notícia: os bastidores do telejornalismo. 5. ed. Porto Alegre: Edipucrs.

Xavier, C. (2006). Mídia e saúde, saúde na mídia. Caderno mídia e saúde pública. Belo Horizonte: escola de Saúde Pública/FUNED.

Publicado
2023-04-26
Cómo citar
Nogueira Martins, B., & Oliveira-Costa, M. S. de. (2023). Riscos da profissão: percepções dos jornalistas da capital brasileira sobre seu trabalho na pandemia . REVISTA ESPAÑOLA DE COMUNICACIÓN EN SALUD, 35-46. https://doi.org/10.20318/recs.2023.7165
Sección
Artículos originales